Qual a relação do estresse e a perda de cabelo?

Qual a relação do estresse e a perda de cabelo?

Qual a relação do estresse e a perda de cabelo?

A rotina do dia a dia pode causar muito estresse que, por sua vez, traz uma série de problemas à vida do indivíduo. Basicamente, o estresse se trata de um conjunto de reações naturais do corpo humano, que podem ser consideradas orgânicas e psíquicas, sendo ativado quando a pessoa se vê em perigo ou ameaça. 

Porém, qual de fato é sua relação com a perda de cabelo? Para saber melhor sobre este assunto, basta continuar a leitura do post que preparamos para você. Acompanhe!


Relação entre a perda de cabelo e o estresse

A perda de cabelo pode ser comparada à calvície, embora nem sempre esteja relacionada a ela e sim ao estresse. Quando há uma queda mais que o normal — sendo de 50 a 100 fios por dia — é interessante entender que algo errado está acontecendo, pois essa quantidade de fios perdidos devem ser substituídos por novos.

Entretanto, quando a pessoa sofre um nível de estresse, a tendência dos cabelos caírem é muito mais, dificultando até mesmo o nascimento de novos fios. Isso porque a estrutura localizada próximo dos rins — glândula supra renal — produz noradrenalina e cortisol e esses hormônios são ativados quando sentem risco ou perigo.

Assim, ao sofrer estresse o corpo identifica um perigo iminente. Consequentemente, os hormônios aumentam e as células sanguíneas deixam de seguir para as estruturas menos essenciais e, gradualmente, passam a alimentar o coração, cérebro e pulmões.

Desse modo, como os cabelos não são estruturas essenciais, recebem menos nutrientes. As células responsáveis pela produção dos fios de cabelo quando recebem menos sangue, não conseguem trabalhar de forma eficiente, tendo como consequência a queda dos fios.


Qual o nome dado para a perda de cabelo?

A ciência deu o nome para a perda de cabelo por estresse como eflúvio telógeno. Essa queda é momentânea, pois quando o indivíduo se encontra em seu estado normal, os fios voltam a nascer novamente, já que as células do folículo capilar voltam a ficar saudáveis.

Você pode notar que o estresse, por sua vez, não enfraquece tanto os fios como no caso da alopécia androgenética. Essa condição enfraquece os fios ao longo dos anos, pois eles passam a crescer lentamente bem como a cair gradualmente.

Nesse contexto, embora se trate de um quadro alarmante, a perda de cabelo por estresse pode provocar eflúvio, mas na maioria das ocorrências a recuperação se dá por efetivo. A perda se inicia após três meses e o paciente pode não comparar a queda com a condição, já que o superou cerca de 3 a 4 meses atrás.


E como funciona a recuperação dos fios?

Infelizmente, para a maioria das pessoas o crescimento dos fios ocorre em no máximo 1 cm por mês. Sendo assim, eventualmente o processo de recuperação pode ser bastante longo. Contudo, existem alguns cuidados que podem ser colocados em prática para minimizar este problema, bem como para contribuir com a saúde dos fios.

Cuidados necessários

Evitar o estresse é um dos fatores mais importantes, embora algumas situações do dia a dia de fato podem ser impossíveis de não se irritar. Apesar disso, caso não tome as devidas precauções, o eflúvio pode se tornar crônico, condicionando a algo mais delicado.

Nesse sentido, a pessoa pode chegar a fazer tratamento mais duradouros com um dermatologista para tratar os fios do cabelo ou mesmo pode dar início a uma alopecia androgenética, dando prioridade maior pelo profissional da saúde ao paciente.

Alguns sinais de alerta para o estresse são:
  •     dores musculares;
  •     enxaquecas;
  •     fadigas, mal-estar; cansaço (físico e emocional);
  •     insônia ou alterações no sono;
  •     problemas estomacais, como diarreia, gases ou azia;
  •     sudorese excessiva;
  •     tremores;
  •     tristeza.


Tratamentos

Os tratamentos são de acordo com o dermatologista que vai te atender e você, se tratado do início, pode sofrer algumas quedas ainda, embora com menor incidência. Esse processo tem o objetivo de recuperar a boa condição dos fios, melhorando a sua qualidade de vida também.

O profissional pode prescrever medicações tópicas, injetáveis, orais como vitaminas, aminoácidos e oligoelementos. É importante que mencione sobre os períodos de estresse para ele entender melhor as suas condições.

Percebeu como o estresse pode causar a sua perda de cabelo? Por isso, invista em realizar tarefas do seu dia a dia com mais leveza e transparência. Procure também fazer atividades físicas, já que estas inibem o estresse.

Gostou do nosso conteúdo? Então aproveite para compartilhar em suas redes sociais e deixe um comentário para que outros leitores possam conhecer suas experiências durante o período de estresse e o que faz para melhorá-lo.